terça-feira, 2 de dezembro de 2014

"O Dinheiro Não é Tudo na Vida" - fotos de Vitor Neno















Eu sou um Sycamore: Vânia Calado fala de Alice Sycamore e da sua experiência!


Alice Sycamore
Vânia Calado, 30 anos

P: Já tinha tido alguma experiência no teatro, além das peças comunitárias da Área de Serviço? Se sim, fale um pouco sobre essa experiência?
R: Entre os 13 e os 19 anos fiz parte do Grupo de Teatro Amador Ramada Curto em Vale da Pinta. Entrei para o grupo por brincadeira e acabei por ficar até fechar. 

P: Há quanto tempo participa nas peças da Área de Serviço? Porque é que decidiu fazer audições para entrar no elenco
R: Fiz a primeira peça com a Área de Serviço há quase dois anos. Fiz a primeira audição porque tinha muita vontade de voltar ao teatro e encontrei um grupo empenhado em fazer o melhor trabalho possível que me faz continuar a querer participar nestas peças e em todas as iniciativas da Área de Serviço.

P: Fale-nos da sua personagem.
R: A Alice é uma rapariga emancipada, divertida e apaixonada. É apaixonada pela família e pelo Tony e está dividida entre estes dois mundos que ela acha que são muito diferentes. Para ela, a família está sempre em primeiro lugar (por muito estranhos que eles sejam)

P: O que acha desta peça? Porque é que as pessoas a devem ver?
R: Às vezes esquecemo-nos do que é realmente importante na vida e esta peça mostra aquilo que nos faz feliz. Se é verdade que o dinheiro ajuda muito também é verdade que algumas coisas que são muito importantes não estão dependentes do dinheiro. Esta peça mostra-nos isso de uma maneira muito divertida e através de uma família muito especial.

P: Se “O dinheiro não é tudo na vida”, então o que é que o faz feliz?
R: A família. Os amigos. A oportunidade de fazer teatro.

Eu sou um Sycamore: Joaquim Caria fala de Anthony Kirby e da sua experiência!


Mr. Anthony Kirby
Joaquim Pimentel Ferreira Caria, 63 anos

P: Já tinha tido alguma experiência no teatro, além das peças comunitárias da Área de Serviço? Se sim, fale um pouco sobre essa experiência?
R: Sim - A minha curta experiência em Teatro foi adquirida na disciplina de Teatro na Universidade Sénior do Cartaxo

P: Há quanto tempo participa nas peças da Área de Serviço? Porque é que decidiu fazer audições para entrar no elenco desta peça?
R: Sem participação anterior. - Vontade de aprender e desejo de participação cívica na comunidade.

P: Fale-nos da sua personagem.
R: Mr. Kirby é um rico corretor da bolsa de Nova Iorque e Implacável nos negócios. Intervém na vida amorosa do seu único filho Tony, mas um regresso ao passado e a possibilidade de o perder, fá-lo mudar de atitude e compreender que "O dinheiro não é tudo na vida"

P: O que acha desta peça? Porque é que as pessoas a devem ver?
R: É uma excelente peça de Teatro que merece ser vista e apreciada pelo público.

P: Se “O dinheiro não é tudo na vida”, então o que é que o faz feliz?
R: O meu ambiente familiar e ter filhos saudáveis, inteligentes e com sucesso.

Eu sou um Sycamore: Mário Júlio fala de Paul Sycamore e da sua experiência!


Paul Sycamore
Mário Júlio Reis, 57 anos

P: Já tinha tido alguma experiência no teatro, além das peças comunitárias da Área de Serviço? Se sim, fale um pouco sobre essa experiência?
R: Sim, muitos anos a trabalhar na corda

P: Há quanto tempo participa nas peças da Área de Serviço? Porque é que decidiu fazer audições para entrar no elenco desta peça?
R: Não sei há quantos anos. Fiz audições por mera loucura.

P: Fale-nos da sua personagem.
R: Independente, sonhador, empreendedor, sensível, “um pouco” fora dos esquemas instalados…

P: O que acha desta peça? Porque é que as pessoas a devem ver?
R: Porque celebra os valores da família, da cooperação, do individuo.

P: Se “O dinheiro não é tudo na vida”, então o que é que o faz feliz?
R: O/as amigo/as.